Produtos Orgânicos

Produtos orgânicos: saiba o que de fato classifica um produto como alimento orgânico

Um produto orgânico, mesmo que associado às práticas agrícolas naturais e ancestrais, é muito mais abrangente que essa classificação simplificada.

Published

on

Foto: Reprodução

Diferentemente da concepção popular, um produto orgânico não é aquele cultivado sem o uso de agrotóxicos e sem adubos químicos, da forma mais natural e sem preocupações técnicas. Um produto orgânico, mesmo que associado às práticas agrícolas naturais e ancestrais, é muito mais abrangente que essa classificação simplificada.

Um produto orgânico, na realidade, trata-se daquele obtido dentro de um sistema orgânico, seja de produção agropecuária ou extrativista sustentável, com responsabilidade ambiental e social, que gere benefícios ao ecossistema local, que proteja os recursos naturais, com uso de fertilizantes adequados, respeite as características socioeconômicas e culturais da comunidade regional e preserve os direitos dos trabalhadores envolvidos. Além de não fazer uso de organismos geneticamente modificados ou químicos sintéticos e possuir  todo um cuidado no transporte e armazenamento do produto.

Todos esses fatores são regulamentados pela Lei 10.831, de dezembro de 2003, que indica a necessidade dessas várias exigências para que um produto, possa de fato, ser considerado orgânico. A regulamentação da produção orgânica ainda assegura a emissão de um selo pelo Ministério da Agricultura, atestando que o produto está dentro das normativas. Portanto, só é considerado um produto orgânico aquele que possui o selo.

Conforme explica a doutora em agricultura tropical Elisandra Zambenedetti, o selo presente nas embalagens permite a identificação e a comprovação de que o produto se trata de um bem orgânico. Caso não haja, na embalagem o selo, o consumidor ainda pode constatar com a empresa responsável pelo produto, se o processo de produção do mesmo se enquadra dentro de um sistema de produção orgânico.

Produzir produtos orgânicos, requer conhecimento técnico e experiência, uma vez que, diferentemente do sistema convencional, o sistema orgânico deve manter uma série de práticas ecológicas desde a base (solo), plantio das sementes, condução do manejo da cultura até o fim da produção. Do plantio até a entrega do produto, tudo deve ser feito de uma maneira que respeite o meio ambiente.

O trabalho de um sistema orgânico é longo e apresenta dificuldades tanto antes da certificação como depois desse processo, já que é essencial realizar uma série de procedimentos como adotar várias práticas sustentáveis para manter um produto sendo orgânico. A primeira etapa para isso está relacionada com a conversão do solo. O processo de transição de um sistema convencional para um orgânico, com o solo livre de agrotóxicos, pode demorar em torno de 12, 24 ou 48 meses. 

Além disso, ainda é necessário fazer uso correto dos insumos permitidos na agricultura orgânica, preservar os recursos naturais na sua propriedade, fazer o controle inteligente das pragas sem uso de produtos químicos, garantir a saúde dos trabalhadores, providenciar embalagens adequadas, transportes e armazenamento especiais, visto que produtos orgânicos não podem ser transportados juntos a produtos convencionais, devido ao risco de contaminação durante esse processo.

Outra questão muito atrelada aos produtos orgânicos trata dos benefícios de se consumir um produto livre de agrotóxicos. Muitas pesquisas ainda estão sendo realizadas acerca desse questionamento, mas uma das respostas mais aparentes está relacionada à saúde. Embora possam variar de produto para produto, há a sustentação de que produtos orgânicos possuem diferenças nutricionais significativas quando comparados com produtos convencionais. O sabor e a qualidade natural do alimento também são mais presente, visto que não há uso de agrotóxicos ou  químicos sintéticos 

COMENTE ABAIXO:
Advertisement